14/05/2011

Não entrar em trabalho de parto

“Prezadas Amigas do Parto,

Tive conhecimento do site nos últimos dias, pesquisando na net sobre parto natural.

Sou gestante com 37 semanas, já tenho um filho de 2 anos e meio que nasceu de cesárea com 41 semanas. Não houve nenhum problema, só não entrei em trabalho de parto... daí, uma cesárea que eu não queria...

Agora, estou desesperada por orientação de como alcançar um parto normal, minha obstetra é a mesma que acompanhou a minha primeira gestação. Não conheço outro que atenda meu plano de saúde... e que pudesse me ajudar.

A esta altura, já estou disposta a pagar até uma consulta para ter orientação, se houve alguma coisa que eu possa fazer para favorecer as condições do parto normal.

Aguardo.

Ansiosamente,

Patrícia”

Patrícia,

Vou te indicar o nome de uma obstetra-parteira.

Agora, veja bem, precisa que você entenda o que aconteceu em seu primeiro parto. Você diz que “não houve problema nenhum”, só “não entrou em trabalho de parto”.

Isso é um problema. Mas não no sentido fisiológico. Pensa bem, como é que uma mulher fica sem entrar em trabalho de parto? Ela está grávida, com um bebê dentro de si, prontinho para sair. Ele está apertado lá dentro. Bebês saem, quando prontos, há milhões de anos. É um roteiro entranhado em cada célula de nosso corpo e do dele. O que significa, então, que não se entra em trabalho de parto?

Se, como tanto se fala, o parto é um evento fisiológico, ele ocorre fora da vontade humana. Da mesma forma, respiramos, digerimos e defecamos sem termos que decidir sobre cada um desses fenômenos.

Porém, como somos humanos e falamos de um parto real e não abstrato, respirar, digerir e defecar podem ser comprometidos se houver tensão, medo e estresse. Isso significa que as nossas emoções jogam um papel importante. O mesmo vale para o parto. Quantas emoções um parto tras, levanta e amplifica? Quantas delas são conscientes? Quantas são trabalhadas e integradas?

Vejo muitas mulheres que “não entram em trabalho de parto”, como se isso foi uma coisa normal, possível de acontecer. É normal sim, quando se está assustada e insegura. É normal não entrar em trabalho de parto quando há algo que desestabiliza. Um animal é capaz de interromper o trabalho de parto se sentir perigo. Inteligentemente, ela vai parir em outro lugar, num lugar seguro.

Você precisa entender o que aconteceu no primeiro parto, porque só entendendo a história não a repetimos. Você disse que está com a mesma obstetra e busca desesperadamente outra. Parece que percebeu que ela deve ser responsável em parte pela sua cesárea não quista.

De fato, medo e insegurança são reforçados por um pré-natal feito com uma obstetra que tem uma alta taxa de cesáreas e que, consequentemente: 1) não sabe acompanhar um parto natural; 2) não acredita na capacidade feminina de dar à luz, tendo uma idéia equivocada do parto.

Não basta, porém, encontrar uma obstetra bacana, porque não é ela que vai parir. Quem vai fazer o parto é você. Por isso precisa que você compreenda seu parto anterior para fazer um novo de forma diferente.

Há muitos artigos e assuntos no site para você ler e amadurecer, pesquise.

Qualquer coisa, estou à disposição.

Um abraço

Adriana Tanese Nogueira

5 comentários:

  1. Meu caso está sendo semelhante, mas morro de medo de cesárea já estou na metade na 41a semana e, pelo visto não tenho mais escolha, já perdi tampão 2 vezes, tenho muitas contrações, tenho muitas pessoas me apoiando, minha obstetra era cesarista, me deixou livre para escolher trocar de obstetra, fui numa humanista, mas não entro nem em Pródromos... Não existem impedimentos, tenho uma DOULA que me apóia maravilhosamente bem, minha mãe faz tudo pra dar certo. O único problema está sendo que o pai do bebê não poderá conhecê-lo. Mas ele ficou comigo até a 40a semana e nada. Estou muito descrente dessa coisa de que não existe mulher que não entre em trabalho de parto, pois já, inclusive, preparei meu psicológico para este parto por muitos meses, fiz acupuntura de indução, descolamento da base da placenta, já estou com 1cm de dilatação há muito tempo, há 3 dias tenho contrações ritimadas, e há dois que tenho ritimadas e fortes, chá de todos os tipos, massagens de indução, chuveiro quente, caminhadas pesadas, fiz exercícios mais pesados, tentei descansar, nada, e estava super tranquila, até ontem. Não surtem os mínimos efeitos, 41 semanas e meia, alguns dias para a 42a segunda semana, fase de alto risco para o bebê. Não acredito mais tanto no que as doulas e parteiras dizem. Todos são extremamente radicais, tanto cesarista quanto humanistas. Isso me frustra muito, pois ele já deu mil sinais de que está pronto. É claro que vamos parir uma hora, se o bebê falece dentro de nós, nosso corpo identifica e o expulsa. Nasce morto. Marcarei minha cesaria para o dia que tiver. Não vou mais por meu filho em risco por causa de suposições pois tudo me parece superficial e incerto, contrações, mesmo que ritimadas, tampões saindo, dilatação de 1cm, nada disso pode indicar parto iminente, o quite me dizem sempre é "aconteceu isso mas pode ser que não venha o TP", e realmente nunca veio... E eu estou certa de que não entrarei em trabalho de parto qualquer destes 3 dias pra frente...

    ResponderExcluir
  2. Andrea, se vc está certa...melhor não esperar mais e marcar logo a cesárea. Essa sua "certeza" faz muita diferença. Vc fez tudo conforme o figurino mas algo não foi ainda resolvido. Qual foi o "preparo psicológico"? Acupuntura? Qualquer que foi o psicológico parece que não foi fundo o suficiente.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Adriana: se tem CERTEZA que nao vai entrar em TP, o corpo já absorveu essa mensagem; nao vai entrar mesmo.

    ResponderExcluir
  4. eu tive uma cesária depois de 40 semanas e a bolsa estourou esperei 24 horas depois esperando ter minha filha e nada agora estou grávida com 37 semanas e estou tendo contrações dede os 7 meses estou querendo um parto normal claro mas fico apreensiva com medo de não conseguir. peço ajuda o que faço esses dias não estou passando muito bem e tenho medo disso acabar me prejudicando em ter meu o meu parto normal se puderem me ajudar! Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
  5. Cíntia, vc precisa de suporte psicológico, é disso que precisa. Se quiser, pode me contatar e marcar uma consulta (vai precisar de mais de uma) comigo, ou procure qualquer outra pessoa que pensa possa ajudá-la. Ficar assim é que não é um bom prognóstico.
    Adriana - psicologiadialetica.com
    Coordenadora ONG Amigas do Parto
    adrianatnogueira@uol.com.br

    ResponderExcluir